Economia, otimização de processos e melhorias ambientais são foco de cursos

14 ago, 2018 Notícias

Criar a cultura da disciplina, identificar problemas, prevenir perdas e gerar oportunidades de melhoria no ambiente para o trabalhador e para o empresário. Foram esses os propósitos principais dos cursos de 5S e de SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde), promovidos pelo programa de Encadeamento do Setor Produtivo, numa ação conjunta entre o Sebrae, Petrobras, Siamig, Sindimetal, Sindivest, Sinduscon e o Sistema FIEMG, por meio das Regionais, do PCIR (Programa de Competitividade Industrial) e do SENAI.

 

Os cursos foram ministrados por instrutores do SENAI de Uberaba. O analista em Tecnologia, Leandro de Almeida Ferreira apresentou os conceitos da 5S, metodologia que permite desenvolver uma melhoria contínua na destinação de materiais, no clima organizacional, na produtividade e, consequentemente, na motivação dos funcionários. É de origem japonesa que propõe cinco sensos: utilização dos recursos; organização; padronização de processos; disciplina e limpeza. “São procedimentos simples que trazem excelentes resultados, quando implantados. Reduzem desperdícios, otimizam tempo e material e geram aumento em produtividade”, acrescentou.

 

O conteúdo SMS foi ministrado pelo instrutor em Mecânica e NRs do SENAI, Aparecido Cristalino da Silva. Ele destacou os princípios básicos de segurança e ambiente de trabalho. “Repassamos aos empresários, estudos de meios para se minimizar ou neutralizar os riscos no trabalho. Fizemos uma análise do que está implantado na empresa e os orientamos para outros procedimentos que devem ser adotados”, destacou. Hoje é consenso de que a empresa tem que verificar o cumprimento da legislação no que tange à segurança do trabalho, brigada de incêndio, treinamentos específicos, dentre outros. “O não cumprimento, além de acarretar penalidades por parte dos órgãos fiscalizadores, pode impedir a celebração de novos contratos”, alertou.

 

Além de 8 horas de aulas teóricas, os empresários contaram com 4h de consultorias exclusivas nas próprias empresas, para a implementação prática. O encarregado da EMPA, Raulindo Souza Rosa, observou que logo após receber a consultoria e as orientações dos cursos, foram feitas adequações no trabalho, resultando na otimização do tempo. “Tínhamos que ir, com frequência, ao almoxarifado para buscar material para o trabalho, e, a partir de agora, no início do turno, o trabalhador recebe uma caixa contendo todos os materiais básicos para a atividade”, contou. Ele informou ainda que a adesão dos demais funcionários a estas novas ideias, contribuiu e vai contribuir muito para a adequação de outros procedimentos.

 

 

Por Maria Ângela Nunes Nogueira Martins | Analista de Comunicação

As 7 Melhores

CURTA NOSSA FANPAGE

Programa Terceira Hora